Autor: Herbert Vianna (Brasil)

Versión: Os Paralamas do Sucesso - Disco: Big Bang (1989)
Clip Original



Versión: Paralamas (en español) Linterna de los afiebrados


Versión: Gal Costa (Brasil)



Versión: Gal Costa y Herbert Vianna



Versión: Paralamas y Djavan (Brasil)



Versión: Cássia Eller (Brasil)

Versión: Pedro Aznar (Argentina) - El Faro de los Ahogados



Versión: María Gadú (Brasil)

Versión: Deborah Turza (Argentina)

Letra:

Quando tá escuro
E ninguém te ouve
Quando chega a noite
E você pode chorar

Há uma luz no túnel
Dos desesperados
Há um cais de porto
Pra quem precisa chegar

Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando
Vê se não vai demorar

Uma noite longa
Pra uma vida curta
Mas já não me importa
Basta poder te ajudar

E são tantas marcas
Que já fazem parte
Do que eu sou agora
Mas ainda sei me virar

Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando
Vê se não vai demorar

Uma noite longa
Pra uma vida curta
Mas já não me importa
Basta poder te ajudar

Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando
Vê se não vai demorar


Letra Pedro Aznar:

Cuando está oscuro
y ya nadie te oye 
cuando cae la noche 
y no parás de llorar 

Al final del túnel
de los desahuciados 
hay un puerto abierto 
a quien ansía llegar 

Yo estaré en el faro
de los ahogados 
Te estaré esperando 
No vayas a demorar 

Una noche larga
de una vida corta 
pero no me importa 
basta poderte ayudar 

Y son tantas marcas
que ya forman parte 
del que soy ahora 
pero no pienso aflojar 

Yo estaré en el faro
de los ahogados 
Te estaré esperando 

No vayas a demorar